Fevereiro 2020 - Ainda sou do tempo

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

... da Formiga Ferdy

quarta-feira, fevereiro 26, 2020 1
... da Formiga Ferdy


Hoje recordo mais um daqueles desenhos animados surreais, que divertiram as crianças da década de 80 e 70.

A formiga Ferdy já existia em livros, criada pelo autor Checo Ondrej Sekor na década de 30, mas foi só em 1984 que alguém decidiu transpor a personagem para o pequeno ecrã, numa parceria entre Ingleses e Checos através da European Cartoon Production. A RTP transmitiu este desenho animado em 1985, na sua versão Alemã (que ajudava a que ficasse ainda mais surreal) com legendas em Português, tendo sido repetida por diversas vezes ao longo dos anos.

A Formiga Ferdy vivia num vale com os seus amigos, o seu cão Snuffer, o TollPatsch, a joaninha Gwendoline (a sua grande paixão), o Caracol Oscar, a aranha Arambula, entre outros. Ela era uma formiga aventureira e que gostava sempre de tocar a sua viola, para assim apimentar as suas aventuras com alguma música.

Chegou a haver uma segunda série em 1996 (que também foi transmitida por cá, desta vez dobrado), mas que não teve o mesmo impacto. Não que a primeira tenha sido um desenho animado de grande sucesso, mas há muitos que se recordam bem das aventuras desta formiga.
























terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

... do programa Isto Só Vídeo

terça-feira, fevereiro 18, 2020 0
... do programa Isto Só Vídeo

Um programa que nos apresentava vídeos caseiros, uns divertidos, outros nem por isso. Uma espécie de youtube, que fez algum sucesso nos anos 90.

Foi em 1992 que Virgílio Castelo apareceu nos nossos ecrãs, apresentando o Isto Só Vídeo em pleno horário nobre da RTP 1. Um programa simples que vivia dos vídeos caseiros Nacionais e Internacionais, sempre com a voz off do apresentador, que atirava uma ou outra chalaça relacionada com o que víamos no vídeo. Era transmitido às Terças-Feiras, e tenho ideia que a dada altura começou a ter público ao vivo, com os vencedores do prémio da semana passada a receberem a sua recompensa.

Mas não era só de vídeos caseiros nacionais que o programa era feito, imitando os inúmeros programas que existiam no Estrangeiro (um ou outro já tinha passado fugazmente pela nossa TV), iam buscar também de outros países. Uma espécie de avô do Youtube, com a diferença de ter um apresentador, e quase sempre uma narração com piada (ou sem) durante a transmissão desse vídeo.

Passado três anos saiu do ar, e quando voltou, tinha a apresentação de Rute Marques, que para além de não ter o mesmo carisma do seu antecessor, sofreu com o facto das pessoas começarem a ficar algo cansadas com o programa. Este não evoluía muito e a dada altura o interesse esmorecia. 


















quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

... dos ténis Reebok Pump

quarta-feira, fevereiro 12, 2020 0
... dos ténis Reebok Pump

Foram uns dos artigos mais desejados dos anos 80, todos queriam andar a carregar no botão que "enchia"os ténis..

Os Reebok Pumpe surgiram no final dos anos 80, com o intuito de ajudar a melhorar o desempenho de um jogador de basquetebol, com o seu sistema de inflação. Foram um sucesso na NBA, e apesar do  seu valor alto, existia um público sedento para os comprar.

Para isso a Reebok começou a fabricar ténis úteis para outros desportos também, como o ténis ou o futebol. Michael Chang começou a utilizar um modelo que variava do original pum nos seus jogos, e ajudou assim a que este tipo de modelo se tornasse popular junto de todos. No Wrestling, John Cena utilizava um modelo Pump quando tinha uma gimmick mais urbana e hip-hop, chegava a utilizar o bombear dos sapatos como parte do seu ataque, quando queria finalizar com um adversário já caído no chão.

Portugal não foi excepção e os sapatos fizeram algum sucesso por cá também, e nas Praças e Feiras do nosso País começaram a surgir n imitações para as pessoas com menos posses. Eu tive um desses modelos da feira, e podia não ter todas as funcionalidades do modelo original mas servia o seu propósito, o de dar um ar mais "cool" ao nosso vestuário. Os originais custavam cerca de 30 contos em 1991, o que era mesmo muita massa para gastar nuns ténis.

Os Reebok Pump eram macios e confortáveis (além de terem um ajuste personalizado), feitos em cabedal e malha, que conferia apoio e respirabilidade, enquanto a palmilha em espuma proporciona uma grande tração para os utilizadores, algo possível graças à sua tecnologia única.

Confessem que dava um gozo do caraças baixar-mo-nos e bombar a língua do ténis, era só tentar arranjar uma situação em que parecesse que ao fazer aquilo iríamos ter mais sucesso em algo. A Reebok tem lançado de novo este modelo, com um design mais moderno mas pensando sempre no conforto do utilizador.















quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

... dos Livros da Anita

quarta-feira, fevereiro 05, 2020 0
... dos Livros da Anita


Quantos dos que estão a ler isto não receberam como prenda um dos livros da Anita? Desde os anos 60 que são uma prenda comum para os mais novos (principalmente para as meninas) e continuam a ser publicados até aos dias de hoje, mesmo já não tendo o apelo de outrora. Um mundo simples e inocente, tentando mostrar a pureza do mundo aos olhos de uma criança.

Gilbert Delahaeye escrevia os textos que eram ilustrados de forma fantástica por Marcel Marlier, começando em 1954 com o livro Anita na Quinta, e no mesmo ano o Anita aprende a ler. Após a morte de Gilbert (em 1977), o seu filho Jean-Louis continuou o legado, escrevendo as aventuras desta petiz. que tinha o nome original de Martine.

A editora Verbo foi a responsável pela publicação destes livros, tanto em Portugal como no Brasil. Chegou a 
Portugal em 1965,  rapidamente se tornou um sucesso e começou a ser uma prenda comum que as Avós ou Tias compravam para as meninas mais novas da família (e por vezes aos rapazes também).


Anita tem uns 5 ou 7 anos, e os títulos dos livros mostram as "aventuras" que alguém daquela idade pode ter, desde uma ida à quinta, ter aulas no Ballet ou até andar num balão. Também apareciam coisas "básicas", como o aprender a ler, o ir à escola, o estar com um burrito, basicamente tudo servia para escrever um livro. Anita estava quase sempre acompanhada pelo seu cão Pantufa, e por vezes pelo seu irmão.

Os textos nunca eram muito longos, serviam apenas de suporte para as magníficas ilustrações de Marcel. e era isso que "contava" a história. Chegaram-me a oferecer 2 livros disto, mas isto realmente era mais para menina e nada daquilo me prendeu muito. Ainda hoje podemos encontrar estes livros à venda e aposto que muita Avó continua a comprar para oferecer à sua netinha.

O maior problema é que, apesar de isto retratar a pureza com que as crianças encaram o mundo, aquilo tudo ficou muito preso noutros tempos, é demasiado inocente e castiço para os dias de hoje, as coisas já não são assim tão surpreendentes ou básicas. Mesmo assim continua a ser editado e alvo de procura, logo há crianças ainda fascinadas com o mundo da Anita. Hoje em dia decidiram adoptar por cá o nome Martine.










segunda-feira, 3 de fevereiro de 2020

... dos Ursinhos Carinhosos

segunda-feira, fevereiro 03, 2020 0
... dos Ursinhos Carinhosos

Mais um desenho animado dos anos 80, também ele baseado numa linha de brinquedos. Por cá não teve muito sucesso, mas lembro-me de ler as revistas e ver os vhs.

Os Care Bears (Ursinhos Carinhosos) foram uma criação da artista Elena Kucharik, para uma linha de postais e cartões da American Greetings. A linha teve uma boa aceitação no seu lançamento em 1981, e 2 anos depois a Kenner começou a criar uma série de peluches, cada ursinho com uma cor diferente e uma insígnia própria na barriga. Mais tarde foi criada uns especiais para TV que deram origem à série de desenhos animados, transmitida entre 1985 e 1988.

A família dos Ursinhos Carinhosos habita na Nuvem Rosa (no original, "Care-a-Lot"), repleta de nuvens e arco-íris. Lá encontramos o Templo dos Corações, um salão em forma de coração vermelho, além da Casa da Vovó e o "Carinhômetro", que avisa de problemas relacionados aos sentimentos. Eles protegem a terra das sombras do mal e do vilão Coração Gelado, que quer acabar com o amor todo no mundo.

Existiam outros animais também, os "primos" que vivem na Floresta dos Sentimentos e com as mesmas características dos Ursinhos, apenas eram outros animais como Leões, Coelhos, Macacos e afins. Ternura, Fiel, Dorminhoco, Amizade e Campeão eram alguns dos ursinhos mais comuns nos episódios da série.

Não me lembro se isto deu na TV por cá, se foi algo que só vi em VHS, sei que a dobragem era Brasileira, e que era um daqueles Desenhos Animados cheios de cor e animação no estilo do Meu Pequeno Pónei. Vi na segunda metade da década de 80, e lembro-me de ler algumas revistas da Abril também, e de ter a mesma sensação de quando via ou lia o Moranguinho, dava para passar o tempo e me divertir mas somente isso. Nos anos 90 lembro-me de ver isto na RTP com dobragem em Português.