quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

... das Lojas dos 300


A dada altura da década de 90, começaram a aparecer um pouco por todo o lado umas lojas Económicas que pretendiam substituir os bazares de antigamente, as famosas Lojas dos 300. Umas mais pequenas, outras maiores, estas lojas começaram a conquistar os Portugueses ao ponto de começar a ser comum comprar tudo nelas.

Lembro-me de quando elas começaram a aparecer na minha zona, era comum haver passeios com o objectivo de ir visitar essas lojas mesmo que depois não se comprasse nada nessas visitas. O ponto forte de muitas dessas lojas eram os bibelots, existia todo o tipo de bonequinhos e parafernália para oferecermos às nossas Mães, Tias ou Avós para elas depois colocarem a enfeitar os seus móveis.

Depois começou a existir de tudo um pouco, baldes com esfregona, tupperwares, ou toalhas de banho.Os "300 Escudos" em algumas lojas começaram a ser apenas o nome da loja, com apenas alguns artigos abaixo ou com esse valor. Outras continuaram fiéis, mas começaram a expandir-se começando a vender coisas como detergentes para a máquina ou sumos.

As lojas dos Chineses de hoje provam como continuamos a ser fãs de lojas do género, as Lojas dos 300 habituaram-nos a isso mas tiveram o azar de apanharem com o fim do Escudo e a entrada do Euro, o que lhes estragou o nome sonante e carismático que tinham.







2 comentários:

  1. E não foi só isso. Mas eram claramente superiores à dos chineses. Como bem referiste, muitas se expandiram para bens alimentares. Coisa que os chineses, felizmente, raramente facultam. (a não ser coisas chinocas). E que saudades tenho de ir aos 300 comprar umas bombocas! :)

    ResponderEliminar
  2. Há lojas dos chineses com muita qualidade, junto ao ipo de Lisboa há 3, uma delas tem de tudo, com baixos preços e muita qualidade.

    ResponderEliminar