quarta-feira, 3 de outubro de 2012

... do Sash!


Sou um fã de Eurodance, e no começo do século XXI as músicas do DJ Alemão Sash! (Sascha Lappessen) encontravam-se entre as minhas favoritas. Sash! vendeu mais de 22 Milhões de discos, ganhando prémios um pouco por todo o mundo e dominando as discotecas no final da década de 90 e começo do século XXI.

Sascha Lappessen nasceu a 10 de Junho de 1970 em Nettetal na Alemanha, e com os amigos Thomas "Allison" Ludke e Ralf Kappmeier criou o projecto Sash!, que atingiu o sucesso em 1996 com a música "It's my Life", que tocou um pouco por todo o lado e deu-nos assim a conhecer o nome deste DJ. Mas foi com a música "Encore une fois" de 1997 que ele se tornou um sucesso mundial, a música chegou ao 2º lugar do top do Reino Unido e chegando ao top 10 em mais cinco Países e top 20 em outros sete países.


Para cimentar essa liderança, Sash! lançou no mesmo ano uma das minhas músicas preferidas, O "Ecuador" levando assim ele ao topo de novo em mais um single com outra língua a dominar a letra para além do Inglês. Nos anos seguintes apareceram mais sucessos, em 1998 "La Primavera" e "Mysterious Times" e no ano seguinte "Colour the World".


Sash! continuou em alta no começo do Século XXI, com o lançamento do single "Adelante" que mais uma vez escalou os tops um pouco por toda a Europa para além de ser mais um sucesso nas pistas de dança. Pouco depois o projecto lançou o seu último single no Reino Unido, "With my own eyes" e teve fora das pistas e do lançamento de álbuns durante mais de uma década, voltando ao activo em 2010 mas sem atingir o sucesso que conseguiu no final do Século passado.



Continuam a ser algumas das minhas músicas preferidas do chamado Eurodance, e não me importava de o ver ao vivo.












4 comentários:

  1. Adorei o "Encore Une Fois" quando saiu e, invulgarmente para a época, quis comprar o CD. Além dos singles, gostei das músicas sem letra, como "The Final Pizzi" e "Cheating Twister". Tinha também a vantagem de os singles virem nas versões integrais em vez dos radio edits.

    O segundo album também é bom, com o "Mysterious Times" e o "Colour The World" com o Dr. Alban. Tal como o primeiro album, tinha uma música drum&bass com os Nonex, "Non-Existant Nothing", que ainda foi melhor que a colaboração do primeiro album. Infelizmente, desta vez, os singles vieram em formato rádio, nas versões curtas.

    No terceiro começa a notar-se algum cansaço. Além de "Adelante" e "Le Soleil Noir" (na verdade do projecto paralelo Encore!), só as menos conhecidas "Rock The Block" e "My Kind of Blues" têm alguma piada. O "Just Around the Hill" e o "Together Again" são banalíssimas.

    O quarto album já não comprei. O "Run", com voz de Boy George, só vale na remistura de Funkstar De Luxe e o resto das músicas estão menos inspiradas. Na altura, gostei de um projecto paralelo dos co-produtores com o vocalista de "Adelante", chamado Martillo Vago, que lançou um single, "Por Que No".

    ResponderEliminar
  2. A minha preferida é "Stay": http://www.youtube.com/watch?v=CUmze7jPiHA

    ResponderEliminar
  3. O "Ecuador" chegou a estar nos Jogos Sem Fronteiras de 1998:
    http://www.youtube.com/watch?v=jrr3_56jOAs
    (a música começa mais ou menos aos 20 segundos do vídeo, depois do "attention, prêts" mais rápido que já vi)
    Dizem que é uma versão instrumental, segundo dizem os húngaros que estão a ver este vídeo (transmissão húngara). Vi isto na RTP Memória em Dezembro.
    Na versão instrumental, a parte que foi colocada nos Jogos Sem Fronteiras começa aos 1:00 deste vídeo:
    http://www.youtube.com/watch?v=whBeMPqkwr8
    ~RandomMe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ena :D obrigado por essa info extra, giro ver isso nesse programa

      Eliminar