quinta-feira, 18 de outubro de 2012

... da Novela Vamp




Vamp foi uma novela que, apesar de ter sido transmitida na RTP 2, foi um sucesso completo em Portugal, já que conseguiu conquistar o público adolescente que já não estava muito interessado em novelas.

Vamp é mais uma produção da Rede Globo (de Antonio Calmon), que foi transmitida no horário das 19 horas entre 15 de Julho de 1991 e 8 de Fevereiro de 1992, num total de 179 episódios. A RTP deu 130 episódios  no seu segundo canal, e num horário pouco habitual, as 18 horas.


Em Armação dos Anjos, litoral do estado do Rio de Janeiro, o capitão reformado Jonas Rocha (Reginaldo Faria), viúvo com seis filhos, casa-se com a historiadora Carmem Maura (Joana Fomm), também viúva e com seis filhos. Eles vivem problemas inéditos, para além daqueles comuns a uma família numerosa, ao entrar em contacto com os vampiros que assolam a cidade após a chegada da famosa cantora Natasha (Claudia Ohana), para a gravação de um clipe.

Natasha, uma cantora de rock, vendeu sua alma ao terrível conde Vladymir Polanski (Ney Latorraca), chefe dos vampiros, para brilhar na carreira. Mas ele descobre que em encarnações passadas ela era Eugênia, o seu amor, que preferiu ficar com Rocha, a outra vida do capitão Jonas. O conde passa então a perseguir Natasha e a família do capitão, inclusive usando de seus poderes para envolver Carmem Maura.

Natasha, por sua vez, quer destruir Vlad para se livrar da sua maldição. A única arma de que dispõe para isso, é a Cruz de São Sebastião, que está escondida em algum lugar em Armação dos Anjos. A cruz deve ser manejada por um homem chamado "Rocha". O herói é portanto o capitão Jonas.

Também está em Armação o bandido Jurandir (Nuno Leal Maia), fugindo de Cachorrão (Paulo Gracindo), um líder de marginais que Jurandir assaltou por engano. Na cidade, ele se esconde nas vestes de um padre, fica amigo da garotada e recebe o apelido de "Padre Garotão". A batina, no entanto, não é tropeço para seu louco namoro com Marina, a protegida de Cachorrão.

Ohana está muito bem nesta novela, mas o que eu gostava mais era de ver o actor Otávio Augusto, que dava vida a um Vampiro frouxo só com um dente. Eram muito engraçadas as suas cenas dele, especialmente quando estava ao lado da actriz com quem ele fazia par amoroso. Lembro-me que havia muitos no Liceu a comentar esta novela, que nos conquistava com o seu tema sobrenatural, mas sobretudo por ter muita comédia à mistura.













3 comentários:

  1. Matoso e Mary Matoso!

    Aqui os vampiros também andavam de dia, mas pelo menos não brilhavam ao sol e não eram emos. Excepto, talvez, o Lipe depois de ser transformado em vampiro. E o Matosinho, que era mais bebé chorão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. lol isso.. epa o que me ria, e aquilo era quase sempre no mesmo cenário

      Eliminar
  2. Esta era da altura em que eu ainda via novelas, e muitos dos meus amigos, rapazes e raparigas, gostavam desta. A última novela que vi (e gostei) foi uma das tardes da RTP1 em 97 ou 98, Perdidos de Amor (não era tão lame quanto o nome pode indicar). Mas lembro-me bem das (poucas)que adorava:
    Sassaricando
    Tieta
    Quatro por Quatro
    Perigosas Peruas
    Vira-Lata
    Roque Santeiro
    Pedra sobre Pedra
    Desencontros

    ResponderEliminar