sábado, 10 de julho de 2021

... do filme Os Deuses devem estar loucos

 







Os Deuses devem estar Loucos (The Gods must be Crazy) foi um dos grandes sucessos do cinema dos Anos 80, um filme simples sem uma grande história ou grandes efeitos mas que deliciou o público e foi um sucesso de bilheteira.




O filme foi escrito e realizado por Jamie Uys, e apesar de ter sido uma produção de África do Sul, foi lançado como se fosse do Botswana devido ao embargo Internacional à África do Sul. Foi lançado em 1980 e anos mais tarde saiu uma sequela, não tão divertida, que me lembro de ir ver ao mítico cinema Oxford.

O filme mostra a história de Xixo, um bosquímano do Kalahari (protagonizado por N!xau, um fazendeiro Namibiano) cuja tribo não tinha contacto ou conhecimento do mundo além desta. Quando um avião passou pela tribo deixa um presente inesperado, uma garrafa de vidro de Coca-Cola. Inicialmente esse artefacto estranho parece ser um presente dos deuses, com muitos usos a serem descobertos, mas só ajudou a gerar conflitos devido a só existir um frasco para dividir entre todos da tribo. Decide-se então que este deve ser jogado fora do planeta. Xi oferece-se para a tarefa e e é nesta viagem que a diversão começa, quando ele encontra membros da civilização ocidental pela primeira vez. O filme apresenta uma visão diferente da civilização vista por Xi.

Xi acidentalmente encontra um lugar chamado Janela dos Deuses, atirando a garrafa de lá. Aquela região está entre as escarpas das terras altas da África do Sul. Xi descobriu que havia uma camada contínua de nuvens que obscureciam a paisagem, dando uma ilusão e convencendo Xi de que era ali que ele devia jogar o frasco.

Era um filme clássico para as matinés de Domingo, dava para toda a família divertir-se e rir com as desventuras daquele homem ingénuo que caía sempre em situações hilariantes. Apesar do filme render mais de 100 Milhões de Dólares, ele recebeu pouco menos que 2000 Dólares, mas mais tarde o realizador corrigiu esse erro dando-lhe mais dinheiro e uma mesada até a sua morte.











0 blogger-facebook:

Enviar um comentário