Agosto 2019 - Ainda sou do tempo

terça-feira, 27 de agosto de 2019

... do Sims

terça-feira, agosto 27, 2019 1
... do Sims

Continua a ser um jogo muito popular, mas hoje vai-se recordar como tudo começou, e como era viciante um jogo onde fazíamos coisas banais do dia a dia.

The Sims foi lançado pela Electronic Arts a 31 de Janeiro de 2000, virando rapidamente uma febre, tornando-se assim o principio de uma franquia de sucesso, com cerca de 200 Milhões de cópias vendidas em todo o mundo. Nunca joguei este simulador de vida,por isso convidei uma pessoa que era muito fã do título, a Carina Pinto. Vamos então a mais um memórias dos outros:

Estávamos algures no ano 2000, e eu tinha acabado de ter o meu primeiro computador. Não conhecia muitos jogos para além dos que vinham em revistas ou aqueles que os colegas da minha mãe me arranjavam. Um dia estava eu no meu emprego, e quando vou à sala dos informáticos fazer uma pergunta qualquer, vejo uns bonequinhos, numa casa, a mexerem-se no computador.

- O que é isso? – perguntei sem rodeios!

- É um jogo novo, posso “emprestar-te” se quiseres.

Claro que queria, nem eu sabia quanto! Nessa noite cheguei a casa e depois de todos irem dormir coloquei o CD, devo certamente ter andando às cabeçadas para por aquilo a funcionar, porque naquela altura era sempre assim, ou faltavam as drivers da gráfica ou outra coisa qualquer, instalar um programa à primeira não era assim tão normal.

Quando voltei a olhar para o relógio eram seis da manhã. Numa altura que Portugal ainda estava a dar os primeiros passos na tecnologia, principalmente no que tocava ao utilizador doméstico, este foi um jogo que chegou e viciou.

Esta primeira versão do jogo vendeu mais de 16 milhões de cópias no mundo todo, teve sete packs de expansão e foram feitos variados packs e edições. O jogo era extremamente avançado para a altura, e apesar de ter sido criado como um jogo de arquitetura, o que nos chegou foi na verdade um jogo de simulação da vida real, onde o que conta na verdade são os bonequinhos que hoje todos conhecemos como Sims.


Temos de manter as necessidades dos Sims satisfeitas, e elas são: Fome, Conforto, Higiene, WC, Energia, Diversão, Social e Ambiente . No entanto era possível configurar a autonomia do Sim sendo que o jogo podia ser mais autónomo, ou então com mais intervenção do jogador conforme o gosto. 

Além disto um Sim pode aprender, tem desejos e relacionamentos, e podemos desenvolver cada uma dessa áreas de formas distintas e com variações infinitas. Um sim pode ter filhos e envelhece naturalmente até a sua morte. O bom deste jogo é que não há como ganhar, podes jogar para sempre.

Quanto à construção de casas, como eu disse ele foi desenhado para ser um jogo de arquitectura, e por isso podemos encontrar pela internet verdadeiras obras de arte criadas neste jogo. Na verdade não acredito que haja um limite para os sonhos de construção que se podem tornar realidade no The Sims.

Ao longo dos anos o jogo só tem melhorado. No The Sims 2, lançado em 2004, o ambiente torna-se totalmente 3D, e além dos 8 packs de expansão também foram lançados 8 packs de objectos adicionais, contando ainda com 9 edições especiais.


Finalmente deixavam-nos criar os nossos Sims (honestamente até me custa lembrar de quando isso não era assim), no The Sims 3 em 2009, tendo sido a grande revolução desta versão do jogo. Não só a nível físico mas também a personalidade eram pela primeira vez únicas para cada Sim. Actualmente estamos no The Sims 4 e foi lançado em 2014.

Nota-se um avanço na AI do jogo no que toca à complexidade emocional dos personagens, e existe inclusive uma correlação entre a personalidade e os movimentos da personagem.

Ao construir um Sim podemos ir a pormenores nunca vistos, não há nada que não seja editável num sim. Esta versão conta com um pack de expansão chamado Strangerville que tem um mistério por resolver, uma espécie de missão dentro do jogo. Para os fãs que jogaram o primeiro jogo, conhecem a Bella Goth, que era uma personagem do primeiro jogo. 

No The Sims 2 ela é raptada por aliens, mas podemos encontrá-la a passear em Strangerville. Para os mais distraídos, ela também aparece no The Sims 3, mas como criança. Esta é uma história que os fãs têm acompanhado, mas não a única, existem bastantes teorias sobre os The Sims.

Neste momento está anunciado o The Sims 5 para 2020, e espera-se que como sempre venha acompanhado de melhores gráficos e de ainda maior personalização. Não se prevê que venham a apostar no online, já foi demonstrado que este jogo é um single user. No entanto prevê-se que nos tragam de volta a capacidade de conduzir, e também se espera que os sims possam ter mais acesso ao mundo ao seu redor, podendo ir até uma determinada rua, desde que limitado ao seu bairro, por exemplo.

Uma das maiores críticas ao jogo, é em relação ao tempo que as personagens demoram a fazer algumas tarefas mundanas, que nunca demorariam nem metade na vida real, e ainda que o The Sims não pretenda ser uma duplicação da vida real.

A minha filha mais velha já joga este jogo há uns anos, e apesar de estar longe de passar o tempo que eu passava neste jogo, a verdade é que é um jogo intemporal, que entretanto gera muito conteúdo feito pelos jogadores, desde teorias sobre linhas temporais a canais de youtube, com histórias com as personagens.