domingo, 27 de janeiro de 2019

... do Miklós Fehér


Todos se recordam da trágica morte do jovem jogador do Benfica, que colapsa em campo para desespero dos colegas, e dos muitos portugueses que acompanhavam o jogo nesse dia.

Miklós "Miki" Fehér nasceu a 20 de Julho de 1979, na Hungria, e começou muito cedo a demonstrar os seus dotes de goleador, chamando a atenção dos olheiros do FC Porto, que o contratou em 1998. Devido à sua juventude, demorou a impor-se no nosso futebol, sendo emprestado primeiro ao Salgueiros, e depois ao Sporting de Braga, onde teve a sua melhor época.

Marcou 14 em 26 jogos, na temporada de 2000/01, ajudando o Braga a conseguir o 4º lugar, num campeonato conquistado pelo Boavista. Os arsenalistas eram treinados por Manuel Cajuda, que apostou bastante no jovem avançado, fazendo então com que o Porto o chamasse de volta para iniciar lá a época seguinte.

Mas uma discussão entre Pinto da Costa e o agente de Fehér, que se recusou a abandoná-lo, fizeram com que saísse pela porta pequena dos dragões. Assinou pelo Benfica em 2002, e foi ganhando o seu espaço na equipa de José António Camacho, apesar de ser tapado por nomes como o de Nuno Gomes.


Com 24 anos, a sua carreira estava ainda a começar a explodir, mostrando que tinha alguma qualidade técnica, para além de se entregar totalmente dentro das quatro linhas. Fora delas, era muito querido pelos adeptos e pelos seus colegas, por ser um "menino" educado e sempre com um sorriso nos lábios.

Foi com um sorriso nos lábios que o vimos com vida pela última vez, tendo sido esta a reacção do jovem húngaro depois de levar um amarelo de Olegário Benquerença no jogo que opunha os da Luz e o Vitória de Guimarães. Pouco depois curvou-se e caiu inanimado no relvado, sendo logo socorrido pelos seus colegas e pelos bombeiros. Sokota chegou a tirar a língua da garganta do seu colega para que este não sufocasse, enquanto os restantes jogadores começavam a temer o pior.

Tudo estava incomodado com a situação, com o jogo a terminar logo aos 90 minutos, e a conferência de imprensa a não demorar muito também. Jorge Jesus, que treinava o Guimarães na altura, disse logo que só falaria do jogador e que só queria que este recuperasse logo.

Infelizmente foi mesmo nesse dia. 25 de Janeiro de 2004, que Fehér viria a falecer, por complicação cardíaca. Os dias que se seguiram foram de grande comoção, ficou na memória de todos a imagem do treinador espanhol José António Camacho, conhecido por ser um homem duro, a chorar no velório do seu jogador, ou das promessas do recém eleito presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, que prometeu dedicar o título de campeão a Fehér, conseguindo isso no ano seguinte.

Todos ficaram afectados pela morte deste jovem jogador, e o seu sorriso ficou assim imortalizado entre nós.











0 blogger-facebook:

Publicar um comentário