... do Citroën 2CV - Ainda sou do tempo

terça-feira, 7 de agosto de 2018

... do Citroën 2CV


Um modelo de carro que ficou na história automobilística, o Citroën 2CV conquistou também os portugueses, sendo um dos carros mais comuns de se ver nas estradas do nosso país.

O engenheiro, e vice-presidente da Citroën, Pierre Jules Boulanger teve a ideia de fazer um veículo pequeno e económico ainda durante a década de 30. O projecto decorria sob a designação de TPV (Toute petite voiture, ou em português veículo muito pequeno), e mesmo com a entrada da família Michelin na empresa, continuou a ser um projecto importante para a companhia que colocou Alphonse Forceau, André Lefébvre e o italiano Flaminio Berloni a trabalhar na viatura.

Os protótipos, ainda refrigerados a água, começaram a aparecer ainda no final da década, mas com a ocupação alemã na Segunda Guerra Mundial, a produção ficou em pausa, com o primeiro carro a surgir no Salão do automóvel de Paris a 8 de Outubro de 1948. O seu design provocou algumas risadas, e alguns jornalistas não levaram muito a sério o projecto, mas a marca continuou a produção destes automóveis.

Com um motor bicilíndrico refrigerado a ar de 375 c.c. e uma potência de 9cv, acreditavam ser possível passar por cima do aspecto visual, já que o preço da viatura seria muito apetecível. Concebido para ajudar agricultores que ainda andavam a cavalos, o carro prometia ser duradouro e fiável, com uma carroceria resistente, baixo consumo de gasolina e uma suspensão preparada para durar longas viagens.


Ao longo dos anos, foram feitos mais de 3,8 milhões de 2 cavalos, com a Citroën a parar a sua produção em 1988, sendo que no nosso país ainda eram feitos 2cv, algo que continuou até 1990, altura em que também nós descontinuámos a produção deste modelo.

Uma prova da sua popularidade por cá, ajudada pelo facto de ser parte integrante de uma série de sucesso, o Duarte e Companhia. Mas não se pense que era só por cá que tinha destaque, o criador argentino Quino, introduziu o aparelho nas histórias da Mafalda, já que era o carro do pai dela, e também apareceu nas histórias do Tintim, numa aventura onde Dupont e Dupont conduzem este modelo da Citroën.

O nosso país ficará para sempre ligado a este carismático automóvel, com mais de 80 mil viaturas a serem produzidas no nosso país ao longo de mais de 15 anos. Foi em Mangualde que foi fabricado o último 2cv, e ainda hoje se fazem encontros de fãs deste carro, de onde tirei inclusive a primeira foto e a última do post.














Sem comentários:

Publicar um comentário