segunda-feira, 23 de julho de 2018

... do Valdo


Foi um dos melhores jogadores estrangeiros a passar por Portugal, espalhando classe nos relvados por onde passava, um dos verdadeiros número 10 do futebol.

Valdo Cândido filho nasceu a 12 de Janeiro de 1964, no Brasil,  começando a dar os primeiros passos no futebol em 1983, no Figueirense. A sua qualidade fez com que fosse chamado para o Grémio, onde se estreou como profissional, ficando por 4 anos no clube, de 1984 a 1988. Já começava a ser chamado para a selecção, onde tinha Zico a tapar-lhe o lugar, quando surge a oportunidade para ir para o Benfica.

Foi um dos maiores negócios de Manuel Barbosa, o primeiro grande empresário, que trouxe em pouco tempo Mozer, Valdo e Ricardo Gomes. Com Eriksson como treinador, o brasileiro rapidamente tornou-se um dos mais queridos do clube e dos adeptos, vencendo por duas vezes o campeonato, em 88/89 e 90/91, vencendo ainda uma supertaça.

Era muito respeitado e querido por todos, pela sua forma de estar dentro e fora de campo, extremamente correcto e profissional, tornando-se um dos líderes do Benfica, numa altura que o clube tinha muitos jogadores de qualidade. Dono de uma técnica e visão de jogo acima da média, destacava-se pela precisão e qualidade do seu passe, isto para além de ser um excelente recuperador de bolas.


Ajudou o clube a chegar a uma final europeia, a da taça dos Campeões Europeus, onde perdeu contra o poderoso Milão, somente nas grandes penalidades. Foi campeão de novo na luz, e como no Brasil era já titular, disputando o mundial de 90 em Itália e ajudando o escrete a vencer a Copa América em 1989, foi normal que chamasse a atenção de outros clubes, rumando assim até França, para jogar pelo Paris Saint-Germain.

Jogou de 1991 a 1995, vencendo duas taças de França e um campeonato, voltando para a luz numa altura muito complicada do clube, e mesmo com 31 anos, volta a ser uma peça fulcral do plantel, ajudando os encarnados a vencer duas taças de Portugal.

Em 1997 ruma ao Japão, onde alinha no Nagoya Grampus, e quando todos pensavam que se iria reformar, decide voltar ao Brasil, onde faz duas temporadas fantásticas ao serviço do Cruzeiro, e de 2001 a 2004, joga ainda pelo Santos, Atlético Mineiro, Juventude e São Caetano, terminando a carreira aos 40 anos, no Botafogo.

Quem se lembra deste grande jogador?














0 blogger-facebook:

Publicar um comentário