terça-feira, 22 de maio de 2018

... da Expo 98


Foi a 22 de Maio de 1998 que abriu a Expo 98, um dos maiores eventos organizado por Portugal, que revitalizou uma zona de Lisboa e foi considerada uma das melhores feiras do género.

Usando o tema "Oceanos: um património para o futuro", a Expo 98 aproveitava assim a história de Portugal, e os descobrimentos, para fazer uma feira mundial que ajudasse também a comemorar os 500 anos dos Descobrimentos. Vasco Graça Moura e António Mega Ferreira foram os dois obreiros, começando os seus contactos e apresentação de objectivos desde muito cedo. O governo aprovou a ideia, e as fundações começaram a ser montadas na Expo Sevilha em 92, com a candidatura portuguesa a vencer a de Toronto.

Portugal aprendeu com os erros de Sevilha, decidindo construir edifícios que seriam aproveitados depois do final do evento, e não ficando ao abandono como aconteceu em Espanha. A decisão acabou por recair na zona oriental da cidade, uma zona que se encontrava degradada e ao abandono, recuperando assim algo que era somente um parque industrial, mas que no passado já tinha tido alguma importância.

Fizeram-se obras públicas de alguma importância, como a Ponte Vasco da Gama, e aquele que agora é o Altice Arena, tornou-se um dos maiores símbolos do aproveitamento do que foi aquela feira. Aumentou-se o metro, construiu-se uma gare que serve de interface rodo-ferroviário, e os prédios de apartamentos tornaram-se alvo apetecível para muitos portugueses, fazendo com que aquela zona seja hoje em dia, um dos melhores locais para se viver.


Depois de se ter feito uma abertura teste, corrigindo algumas coisas apontadas pelos visitantes, a Expo abriu as suas portas a 22 de Maio de 1998, com os bilhetes a custar 5 mil escudos para um dia, 12.500$ para um passe de três dias, ou então podia-se comprar bilhetes só para visitar a feira durante a noite, que custavam 2.500$.

Eram nove os pavilhões temáticos, Futuro, Realidade virtual, Utopia, Portugal, Conhecimento dos mares, Oceanos, Território, Água e Náutica. Sendo que existiam ainda uns pavilhões que mostravam mais  dos Açores, Madeira, Macau e Guiné-Bissau. Tudo isto atraiu 11 milhões de visitantes, apesar das previsões para 15 milhões, e tornou-se uma das feiras mais bem sucedidas e elogiadas de todos os tempos.

Quem mais tirou fotos junto dos vulcões de água, ou do Gil?

















1 comentário: