... do Larry Bird - Ainda sou do tempo

sábado, 16 de setembro de 2017

... do Larry Bird


Tive pena de já ter apanhado o final de carreira de Larry Bird, mas mesmo assim tornou-se um dos meus favoritos e uma das razões para que me interessasse por este desporto. Foi um dos melhores dentro e fora de campo, conseguindo a proeza de ser o único na NBA a ter o título de MVP, de treinador do ano e de dirigente do ano.

Larry Joe Bird nasceu a 7 de Dezembro de 1956, no estado de Indiana, nos Estados Unidos, começando a jogar Basquetebol na universidade desse estado, antes de ser chamado para os Boston Celtics em 1979, jogando nessa equipa durante 13 anos, tornando-se um símbolo da mesma e um dos melhores de sempre do desporto.

Bird venceu o prémio de rookie do ano logo na sua estreia, e com as contratações do ano seguinte (Robert Parrish e Kevin McHale) formou aquela que é considerada uma das melhores frentes de ataque da NBA, com a qual os Celtics venceram logo um título na primeira temporada dos três juntos, vencendo os Houston Rockets na final.

A sua concentração dentro de campo era fantástica, e o jogador colmatava a sua falta de rapidez com a inteligência como encarava o jogo, e a forma como antecipava as jogadas dos seus adversários, para além de ser um exímio atirador. Juntamente com Magic Johnson, que entrou no mesmo ano que Bird para os Lakers, ajudou a que o público voltasse a ter um maior interesse pela NBA, com os confrontos dos dois a ganharem proporções épicas, num duelo que originou uma amizade fora de campo e grandes confrontos dentro deste.


As duas equipas dominaram a década de 80, estando sempre presentes nos grandes jogos e vencendo vários campeonatos durante esse período de tempo. Com Bird os Celtics nunca falharam um playoff, estando sempre presentes nessa fase do campeonato durante os 13 anos em que jogou pela equipa, com Bird a fazer parte da equipa do ano por 12 vezes e sendo escolhido como o melhor jogador em 3 temporadas consecutivas, de 1984 a 1986.

Era um dos jogadores mais respeitados dentro da NBA, admirado pelo seu talento e concentração dentro de campo, foi natural quando se soube que fora dele, Magic tornou-se um dos seus melhores amigos, e os dois continuaram a espalhar magia nos seus confrontos, apesar de Bird começar a ressentir-se de lesões no final dos anos 80. Mesmo assim em 1990 consegue um marco fantástico na sua carreira, ao chegar aos 20 mil pontos, mas dentro de campo começava a apresentar sinais de que a lesão nas costas o impedia de jogar ao melhor nível, tendo sido escolhido mesmo assim para integrar a Dream Team dos Estados Unidos da América, em 1992 para os jogos olímpicos de Barcelona.

Retirou-se nesse mesmo ano, e começou a trabalhar como executivo nos Celtics, onde esteve cinco anos, até decidir abraçar a carreira de treinador na equipa do seu estado natal, os Indiana Pacers. onde conseguiu alguns feitos interessantes, como a melhor media de vitórias dessa equipa e conseguiu inclusive levá-los aos playoffs. Conseguiu vencer o prémio de treinador do ano, e pouco tempo depois começa a sua carreira como dirigente nessa equipa, e conseguiu tornar-se o único neste desporto a conseguir juntar três títulos diferentes de melhor do ano, sendo considerado o dirigente do ano.

Um senhor dentro e fora do campo, continua a a espalhar a sua simpatia pela NBA, onde continuou como presidente dos Pacers até Maio deste ano, onde decidiu sair mas continuar com um papel de conselheiro. Quem mais foi fã dele?