0

Recordo aqui uma daquelas profissões de outros tempos, apesar de ainda existirem alguns, e que todos têm alguma memória e que se recordam da importância da mesma. Vou deixar aqui algumas imagens, e um pouco da história de algo que remonta até o final da década de 20, altura em que surgiu o primeiro polícia sinaleiro em Lisboa.

Talvez prevendo que o número de automóveis tendia a aumentar, o comandante da secção de trânsito da PSP de Lisboa, teve a ideia em 1927 de destacar um dos seus elementos, para ajudar na movimentação dos automobilistas e dos peões. Decidiu que deveriam trajar capacete, luvas e cassetete brancos, para se destacarem no meio da estrada, e rapidamente ganharam a alcunha de "cabeças de giz", sendo também muito acarinhados pela população em geral.

Andavam apeados no asfalto, ou com um pequeno pedestal, tinham que ficar no seu local de trabalho sob intenso calor, ou debaixo de um qualquer dilúvio torrencial, para ajudarem sempre na movimentação do trânsito. Chegaram a ser quase 300 na capital a dada altura, perdendo a sua força perto do final da década de 70, com a implementação e proliferação dos semáforos.

Lembram-se quais os cruzamentos onde se cruzavam com alguns? Têm alguma memória a partilhar?

Toca a parar! Toca a parar!
foto retirada do coisasdeantigamente
Luvas brancas, largos gestos
E grandes exaltações.
Dá passagem aos veículos,
Manda parar os peões.

Mãos para acolá,
Mãos para ali,
Toca a passar
Pi… pi… ri… pi…

Capacete desabado,
Um apito muito agudo,
Carrega a cara de mau
E pronto… está tudo mudo!

Mãos para acolá,
Mãos para ali,
Toca a passar

Pi… pi… ri… pi…


foto retirada de coisasdeantigamente








Enviar um comentário Blogger