0


Curiosamente deixei para o fim a primeira série da trilogia de desenhos animados "Era uma vez...", muito por culpa de ser a que menos gostei e me interessou, mas que é digna de ser visualizada por todos e tem a sua importância. Era uma Vez... o Homem abordou a história da humanidade com um núcleo de personagens carismáticos que continuaríamos a ver nas outras aventuras desta saga de animação.

Il Étain une fois.. (Era uma Vez...) foi criado e realizado por Albert Barillé que idealizou uma série de desenhos animados educativos que vieram a ganhar uma legião de fãs e admiradores um pouco por toda a Europa. Esta primeira série, Era uma vez... o Homem foi produzida pelos estúdios Procidis em 1978 sendo realizados 26 episódios que foram transmitidos pela RTP por diversas vezes na década de 80 e início dos anos 90, sempre na sua versão original e legendada em Português. Muitos anos mais tarde foi dobrada em Português pela Planeta Agostini nos lançamentos que fez de livros e dvd's contendo estes desenhos animados.

No genérico tanto no início como no final de cada episódio utilizava a famosa Tocata e Fuga em Ré Menor, de Johann Sebastian Bach, e onde podíamos ver a evolução do Homem ao longo dos tempos, afinal era essa a premissa principal do programa e o que víamos em cada episódio. Como era um pouco comum naquela altura, esta série teve a colaboração de estúdios de televisão de vários Países Europeus e até de um Japonês. Assim tentava-se criar algo que fosse quase universal e bastante respeitador das várias culturas, para além de ser já de si um programa bastante didáctico.

O núcleo de personagens (que mais tarde vimos em outros papéis nas outras séries de Barillé) constituía como que uma família que só mudava os papéis que representava conforme o espaço temporal que o episódio pretendia demonstrar. O Maestro era o patriarca e chefe, Peter/Pierre era o típico homem simpático e trabalhador, quase sempre casado com Pierrete e com o Jumbo como melhor amigo. Um jovem brutalhão que preferia resolver as coisas à pancada, especialmente com os maus da fita, o Peste e o Anão, o primeiro era um grandalhão bruto e o outro o chefe que idealizava os planos malignos.



Preferi as duas séries que foram feitas mais tarde, especialmente o Era uma Vez o corpo Humano (ou a vida), mas não deixou de ter o seu apelo em especial o facto de reconhecer as personagens dos outros programas. Eis a lista de episódios:

1 – Nasce a terra

2 – O Homem de Neandertal

3 – O Homem de Cro-magnom

4 – Os vales férteis

5 – Os primeiros impérios

6 – O século de péricles

7 – A paz Romana

8 – As conquistas do islão

9 – Os carolíngios

10 – Os vikings

11 – Os construtores de catedrais

12 – As viagens de Marco Polo

13 – A guerra dos 100 anos

14 – O homem do renascimento

15 – Os descobrimentos

16 – Isabel e o grande século inglês

17 – O esplendor das províncias unidas

18 – O grande século de Luis XIV

19 – Pedro o grande

20 – O século das luzes

21 – A América do norte

22 – A revolução francesa

23 – A primavera dos povos

24 – A bela época

25 – Os anos de loucura

26 – Era uma vez a terra








Enviar um comentário Blogger