0

Com o sucesso da série animada de He-Man, a Mattel decidiu continuar a apostar neste campo e lançou uma versão feminina em tudo semelhante à linha dos Mestres do Universo. She-Ra aparecia então como a irmã gémea de He-Man, tendo problemas também no seu universo com um vilão super poderoso e vivendo grandes aventuras cósmicas como a sua contra parte masculina.

She-Ra: Princess of Power foi produzido pela Filmation em 1985, com Lou Scheiner como principal produtor e dirigido por Gwen Wetzler. Foram 2 temporadas com 93 episódios, que como no caso de He-Man foi baseado numa linha de bonecos da Mattel, e financiado pela produtora de brinquedos. Por cá foi transmitido pela RTP em 1986/87 sendo repetido mais uma ou duas vezes, sempre na sua versão original e com legendas em Português.

She-Ra foi apresentada num filme que compilava basicamente os 5 primeiros episódios da sua série, onde conhecíamos a princesa Adora e ficávamos a saber que tinha sido raptada em bebé pelo terrível vilão Hordak e que ela era afinal a irmã gémea do príncipe Adam. Com uma espada poderosa como a do seu irmão (que foi ele que lhe entregou), também ela transformou-se num ser poderoso e conseguiu assim combater as terríveis hordas do ditador que dominava o seu planeta.


Dirigida a um público mais feminino, também os rapazes ficavam interessados em ver isto, o estilo de animação era o mesmo dos Mestres do Universo, e os vilões até tinham um ar que impunha respeito, Hordak tinha um ar quase mais ameaçador do que o Skeletor.

Chegou a existir também cadernetas, bonecos, revistas de banda desenhada, mas ficou sempre aquém do sucesso do desenho animado original da Mattel. Em todo o caso marcou na mesma uma geração, e quem conhecia um sabia logo quem era o outro.

O facto de ser quase tudo cópia do outro não ajudava a que durasse muito, era a espada poderosa a transformar a princesa em guerreira, o seu animal de estimação dócil num animal pronto para a batalha, e os aliados e inimigos eram todos por vezes versões diferenciadas da sua versão em mestres do universo. Lembro-me que cheguei a gostar de alguns episódios, e achava o vilão principal muito bem conseguido.

Existiram episódios/filmes com as duas franquias em conjunto, que foram bastantes interessantes e ajudavam a consolidar o universo da versão feminina que era também a principal figura da linha de brinquedos.








Enviar um comentário Blogger