0

A RTP dava-nos sempre programas de variedades ao Sábado à noite, já falei de vários aqui no blog e hoje chegou a vez de falar do Foguete, o único que era filmado "dentro" de um comboio. Com grandes nomes do audiovisual, o Foguete misturava rábulas humorísticas com números musicais e algumas entrevistas.

Foram 10 programas que a RTP transmitiu no Verão de 1983, aos Sábados à noite e que nos fazia embarcar num comboio muito especial com uns funcionários e passageiros muito divertidos. António Sala, Carlos Paião e Luís Arriaga eram os criadores do Foguete, nome emprestado do comboio que nos anos 50 fazia a viagem entre Lisboa e Porto e que para além da sua rapidez proporcionava uma série de luxos a bordo nunca antes vistos.

Para além de o terem criado, os 3 artistas participavam nas rábulas e protagonizavam um dos maiores genéricos de sempre da Televisão Portuguesa, que víamos todos os Sábados com a mesma intensidade que da primeira vez. Sala era o Revisor, Arriaga o Barman e Paião o Maquinista, e ambos interagiam alegremente com os actores convidados que incluíam nomes como o de Fernando Mendes, naquele que foi o seu primeiro papel na televisão. Na música, e como de costume, passaram grandes nomes por este comboio, como José Cid, Doce ou Marco Paulo.

Achava muita piada ao genérico, filmado na estação de Alcântara e que mostrava os 3 criadores em palermices em torno de um comboio real. Quando as coisas começavam, achava sempre esquisito como podia acontecer tanta coisa num comboio, como ele de repente parecia tão grande e nunca se via as pessoas a tremer e a baloiçar nos seus lugares. Na altura a crítica não foi muito favorável, mas ainda hoje as pessoas se lembram da música do genérico e gostam de a cantarolar.



Enviar um comentário Blogger