0

Sempre fui fã de guarda redes, e nos anos 90 existiram uns que se destacavam por sair da sua posição entre os postes e avançarem no terreno. Chilavert ia além disso e marcava golos de livres e tudo, um dos melhores na sua posição e um dos que marcou mais golos também.

José Luis Félix Chilavert González nasceu a 27 de Julho de 1965 no Paraguai, vindo-se a tornar um dos melhores guarda-redes dos anos 90 e o segundo na sua posição a marcar mais golos na sua carreira (mais só Rogério Ceni do Brasil). Chilavert começou a sua carreira profissional no Sportivo Luqueño, onde marcou 4 golos em 67 partidas, chamou a atenção do San Lorenzo da Argentina onde fez uma campanha sólida de mais de 120 jogos (curiosamente sem nenhum golo marcado), saindo em 1988 para Espanha onde viria a jogar duas temporadas no Zaragoza.

Mas foi o período no Velez Sársfield que o colocou na mira de todos, foi para o clube em 1991 e por lá ficou 10 anos vencendo 4 campeonatos da primeira divisão, foi ainda considerado o melhor guarda redes do mundo em 3 anos diferentes e um dos melhores do Mundial de 1998 na França.

Chilavert marcou na campanha do Paraguai para o Mundial de França e no certame quase que marcou de livre frente à Bulgária, sendo o primeiro na sua posição a tentar algo do género. Gostava muito de o ver jogar nessa altura e tentava sempre que me era possível acompanhar a sua carreira, ao contrário de Higuita ou Campos, ele era mais seguro entre os postes, algo não tão comum entre os guarda redes Sul Americanos e sempre que subia no terreno ou marcava um livre, tinha uma classe indiscutível que era perceptível a todos.

Não fez grande carreira na Europa, onde jogou em Espanha e em França, mas não deixou por isso de ser sempre olhado como um dos melhores e respeitado pelos seus adversários. Isto apesar de ter tido problemas com Roberto Carlos do Brasil, a quem acusou de racismo e provocações xenófobas e reagiu com uma sapatada que o levou a ser suspenso pela FIFA por três jogos.

Apesar das complicações ainda participou na campanha no mundial da Coreia em 2002, onde quase que marcou um golo à Espanha e ajudou a que o seu País fosse à fase final mais uma vez. Individualmente venceu vários prémios, desde o melhor jogador na Argentina, a melhor jogador Sul Americano, a melhor Guarda Redes do Mundo.

Nos clubes venceu a taça de França, campeonatos na Argentina e Uruguai e diversas outras taças. Tem o recorde do guarda redes que mais golos marcou por uma selecção e um dos que mais golos marcou ao longo de uma carreira. Foi sem sombra de dúvidas um dos meus preferidos.







Enviar um comentário Blogger