0

Um daqueles filmes que surpreendeu por ter uma personagem feminina como protagonista, tal a violência física e psicológica presente em algumas cenas, mas foi por isso mesmo que muitos ainda se recordam dele, pela intensidade e força dessas cenas. GI Jane foi um digno representante de filmes de acção dos anos 80, tendo até direito a frases que ficaram na memória colectiva como acontecia nessa década.

GI Jane foi dirigido por Ridley Scott, tendo Demi Moore como protagonista e foi o sucesso do Verão de 1997 continuando depois a ser um sucesso quando se começou a alugar o filme ou a vê-lo na tv. Aqui acompanhamos a história da Tenente Jordan O'Neill, que vai prestar provas para fazer parte de um dos ramos mais fortes dos Militares (algo equivalente aos Navy Seals na realidade) de modo a provar que as Mulheres podiam fazer parte de todos os ramos da indústria militar.

O problema vai ser no Comandante Urgayle (Viggo Mortensen) que é tão bruto como o treino que dirige, e faz de tudo para fazer a vida negra a O'Neill que já enfrentava o escárnio dos seus colegas de treino (todos homens obviamente). No começo era-lhe dado algumas benesses por ser do sexo feminino, ter 30 segundos de vantagem numa prova por exemplo, mas ela começou a pedir para ser tratada por igual e foi assim que as coisas começaram a aquecer.

Paralelamente a isto tudo, vemos os interesses da política a misturarem-se com a dos militares, todos querendo aproveitar esta situação de O'Neill. A cena em que Urgayle espanca violentamente O'Neill (fazendo com que até os seus colegas a comecem a apoiar) é daquelas cenas que ninguém esquece, com uma frase fenomenal de Demi Moore, deixando o seu agressor sem saber o que pensar.

Um filme interessante e que vale a pena ver, mais que não seja pela boa interpretação de Demi Moore, num papel intenso e que torna o filme ainda mais agradável.
















Enviar um comentário Blogger