0


Já falei aqui de como tínhamos muita escolha na área dos achocolatados para misturarmos com o leite, e o Nesquik apareceu tarde nessa corrida mas nem por isso ficou longe da preferência da criançada nos anos 80 e 90.

Uma das armas era uma forte aposta na mascote que criaram, o famoso Cangurik que supostamente era um canguru laranja que nos dava lições de como amarmos e tratarmos da Natureza, ao mesmo tempo que promovia o produto para misturarmos no leite. O mais engraçado nem era não usarem o Coelho que mais tarde se estabeleceu como mascote do produto, o que tinha piada era o desenho tosco desta personagem, parecia aqueles desenhos feitos por crianças a enfeitarem paredes de creches ou infantários.






















Era um canguru laranja com um nariz fino e comprido e um corpo disforme, mas nós não ligávamos nenhuma a isso, gostávamos dele como se fosse uma mascote toda xpto. E ele estava um pouco por todo o lado, saíam livrinhos com ele a ensinar-nos como tratar da natureza, de cuidar das árvores e isso tudo, calendários, horários escolares, mochilas e mais coisas que podíamos imaginar.

Era presença habitual nas revistas de banda desenhada (havia sempre anúncios ao Nesquik), e tornou-se das mascotes mais populares nos anos 80 em conjunto com o urso do Tulicreme.


Enviar um comentário Blogger