0

Rutger Hauer estava em grande nos anos 80, já falei aqui do Fúria Cega, e hoje irei falar de um filme que me marcou bastante, o Terror na Auto-Estrada (Hitcher no original e A Morte pede Carona no Brasil). Um filme de terror que vi pela primeira vez na RTP, ou numa Última Sessão ou num Pela Noite Dentro, e o qual me fez ficar com medo deste actor que tem aqui um dos seus melhores desempenhos.

O Hitcher foi realizado por Robert Harmon em 1986, com Rutger Hauer, C. Thomas Howell e Jennifer Jason Leigh nos principais papéis, num filme escrito por Eric Red.

Foi daqueles filmes que me fez comprar uma TV Guia para ficar com a capa para a K7 VHS, sabia que tinha que gravar este filme. Estava numa fase que gostava bastante de filmes de terror, e o conceito deste filme parecia bastante interessante.

Não o revi ainda, por isso não sei se não tenho uma imagem romantizada do filme e este não vale tanto como o que me recordo dele, mas não interessa, lembro-me de dar uns quantos saltos com as ameaças de John Ryder (Rutger Hauer) a Jim Halsey (C. Thomas Howell) e com as poucas cenas de violência que o filme apresentava.

O conceito era simples, Jim Halsey ia a conduzir um carro de Chicago até San Diego e decide dar boleia a um homem que se encontrava na auto-estrada, o John Ryder.

Era um homem calmo, que deixou logo Jim à vontade e com o qual encetou uma conversa interessante e que ajudava assim a passar o tempo naquela viagem longa. O pior foi quando ele se apercebeu que ele já tinha assassinado alguém que lhe tinha dado boleia, e que pretendia fazer o mesmo a Jim.

Depois de uma pequena luta, consegue atirá-lo para fora do carro ficando assim contente por estar livre de perigo. Essa animação desaparece quando vê um carro com uma família a passar por ele, e com Ryder sentado no banco de trás. Jim decide perseguir o carro e tentar avisar a família do perigo que corriam, mas chega tarde demais e descobre um carro já a escorrer sangue por todos os lados.

Jim é então preso pela Polícia quando encontram a lâmina de Ryder no seu bolso, mas este consegue sair da esquadra quando acorda de manhã e encontra todos os polícias mortos com as gargantas cortadas. Ele percebe que não consegue escapar de Ryder, e chega a contemplar o suicídio mas decide continuar e depois de mais algumas peripécias típicas de um thriller, consegue ultrapassar o seu medo e colocar um fim à vida daquele psicopata que o atormentou durante o filme todo.

Foi um daqueles filmes que ficou na memória de muitos, que teve direito a uma sequela e mais recentemente chegou a ser feito um remake e tudo, mas ambos não tiveram o mesmo sucesso do filme original.











Enviar um comentário Blogger