quinta-feira, 28 de março de 2013

... do Zé Colmeia

O Zé Colmeia (Yogi Bear) era uma das minhas personagens preferidas da Hanna Barbera, gostava da sua atitude positiva e dos seus esquemas para conseguir as cestas de piquenique pelas quais tanto ansiava. Seguia a linha de outras personagens do estúdio, com um parceiro baixinho que o seguia fielmente e a desafiarem constantemente a autoridade.

Eu conheci primeiro a personagem pelas histórias em quadradinhos, da editora RGE, e só mais tarde apanhei o desenho animado na Televisão. Isto porque cá em Portugal ele dava apenas ocasionalmente, muitas vezes como tapa buracos (como tantos outros da Hanna-Barbera) mas no Brasil foi sempre um sucesso com a típica dobragem Brasileira que dava ainda mais charme à personagem.

Zé Colmeia é um urso antropomórfico, conhecido por usar um chapéu e uma gravata verde que adorava roubar comida dos visitantes do parque Jellystone (a imitar os parques Yellowstone), onde vivia com o seu parceiro e amigo Catatau (Boo Boo). Foi criado em 1958 por William Hanna e Joseph Barbera, aparecendo como personagem secundário nos desenhos animados do Dom Pixote, onde aparecia num episódio de 6 minutos e meio num dos segmentos do programa.

O sucesso da personagem foi tanto que em 1961 já tinha o seu próprio show, desta vez era ele que tinha personagens secundários em segmentos do seu programa (Snaglepuss e Yakki Doodle) e conquistou o público com os seus planos desvairados para fugir e/ou enganar o Guarda Smith.

Era um desenho animado típico da Hanna Barbera, com as imagens de marca comuns do estúdio (como os mesmos cenários repetidos até à exaustão), bem divertido e sem pretensões a ser um grande programa com grandes histórias e animação fora do comum.

As histórias em quadradinhos seguiam essa linha, tanto quando foram editadas pela RGE, como mais tarde quando foram lançadas pela editora Abril. Lembro-me bem de ser um dos meus pedidos habituais nas visitas às papelarias com o meu pai, esperando assim que ele me comprasse uma para que eu me mantivesse quieto e calmo. Devido a serem normalmente muito baratas, era comum esse pedido ser acedido.

Ria-me sempre com os esquemas absurdos que ele elaborava para ou roubar uma cesta de piquenique ou conseguir comida de graça, dentro ou fora do parque. O desenho animado durou bem até a década de 90, com diferentes encarnações ao longo dos anos, ao contrário da BD que deixou de ser editada e publicada por muita pena minha. Há pouco tempo saiu um filme baseado na personagem, e até é bastante engraçado e fiel ao espírito do programa idealizado nos anos 60.

Para mim uma das melhores personagens deste estúdio, e ainda hoje me consigo rir com as suas peripécias.

















1 comentário:

  1. História comovente:
    Quando o Boomerang chegou cá a casa em 2008, fiquei emocionado com o que vinha aí. Parecia que uma parte considerável do Cartoon Network que partiu três anos antes, em Maio de 2005, voltou. Havia uma série dos anos 80 com essa personagem mencionada, que dava pelo nome de "The New Yogi Bear Show". Primeiro que tudo, o genérico da série tinha uma canção de abertura irritante e as cenas eram recicladas de, sei lá, do filme dos anos 60. As histórias da série dos anos 80. Depois saiu o filme, não vi, só que... pena terem escolhido o nome brasileiro como no passado. Porquê? Porquê "Zé Colmeia" e não "Urso Yogi"? Porquê? Porquê? PORQUÊ?! Não sei se a RTP dobrou ou legendou a série dos anos 80 que aconselho vivamente que vejam no YouTube, pelo menos em inglês. A dita série dos anos 80, introduziu a saga do... TEXUGO NINJA!!! (Ninja Racoon)
    Direi apenas, que, vá lá, prefiro chamar à série Top Cat de... Top Cat.
    ~RandomMe

    ResponderEliminar