1

Nós víamos todas as séries que a RTP transmitia, por mais surreais que os conceitos fossem e no caso da série a Ilha da Fantasia, surreal era a palavra adequada. O que muitos de nós recordam da série, é de ver um anão aos gritos "the plane, the plane" e de um homem misterioso que recebia pessoas na sua ilha e os ajudava a realizar as suas fantasias.

A série foi criada em 1978 pelo grande Aaron Spelling, tendo sido feitos 158 episódios que foram transmitidos ao longo de 7 temporadas até 1984 pela ABC e sendo transmitido pela RTP na 2ª metade da década de 80. A série foi transmitida na sua versão original legendada em Português durante as tardes da semana e em algumas ocasiões no mítico Agora Escolha. Lembro-me da série ser nos mesmos moldes do Barco do Amor, onde casais apareciam, tinham problemas aquando da sua estadia na ilha e depois tudo se resolvia e saiam com o amor renovado.

O carismático Ricardo Montalban era o misterioso Mr. Roarke, que saía para receber os seus convidados quando o anão Tatoo começava aos gritos "O avião, o avião" e tocava um sino, enquanto víamos o avião a descer para aterrar na ilha. Os convidados recebiam as regras, e enquanto Mr. Roarke explicava a Tatoo quais as fantasias dos casais, nós ficávamos assim também a perceber o que cada um queria da sua estadia na ilha. O desenrolar do episódio, que tinha uma hora, era no mesmo estilo do Barco do Amor, com duas histórias se desenrolando e alternando entre si com o fio condutor a ser dado pelos elementos regulares da série.

Para o fim tenho uma vaga ideia da série começar a ir por caminhos sobrenaturais, com o misterioso anfitrião a ser possuidor de poderes variados e que se adequavam sempre ao problema do episódio em questão. Não era uma série excelente, mas entretinha e cumpria o seu papel de nos distrair e por vezes animar.












Enviar um comentário Blogger