5

Dartacão cai naquela categoria de personagem de desenho animado Imortal, encantou gerações na década de 80 e na de 90, sendo que aquando da sua transmissão recente no Canal Panda conquistou mais uma geração de crianças, que não conseguem resistir às aventuras deste corajoso Moscãoteiro e ficam fascinadas com todo o seu universo. A série passou por cá pela primeira vez em 1983, aos sábados de manhã na RTP1, mas o sucesso foi tanto que ela foi repetida por diversas vezes no canal estatal apanhando assim uma panóplia de gerações. A que eu me recordo de ver deve ter sido por 1986/88, e era transmitida da parte da tarde no Canal 1 existindo depois um hiato até ela ser repetida de novo pela TVI a meio da década de 90, em 1995, e como em todas as outras encarnações foi um sucesso absoluto.

Era mais uma série com a chancela da Espanhola BRB Internacional, um dos logótipos que mais víamos nos desenhos animados, em colaboração com a Japonesa Nippon Animation criando 26 episódios que nos mostravam de uma forma peculiar um dos romances mais famosos de Alexandre Dumas. E apesar dos protagonistas serem representados como cães, a adaptação é bastante fiel (não obstante o nome da amada ser Julieta em vez de Constance) e aprendíamos ali muito do livro não ficando depois desiludidos quando o líamos pela primeira vez.

O genérico desta série é mítico, ficou gravado na nossa mente e todos o sabemos cantar de cor e salteado, e antes sequer da aventura começar já estávamos todos eléctricos a cantarolar o mesmo e a vibrarmos com o que aí vinha. Era uma música rápida, animada e com uma letra que descrevia o espírito do livro e do desenho animado, ou seja, a amizade que unia os 3 Mosqueteiros e a paixão que ele nutria pela Julieta.

A história passa-se no ano de 1652 na Gasconha e mostra um jovem humilde e pobre, que brinca com espadas de madeira com os seus amigos, que parte para França com a esperança de se tornar um Moscãoteiro, o que se torna algo problemático quando de repete se mete em problemas com os 3 principiais Moscãoteiros, Dogos, Mordos e Arãomis.

Para mim uma das melhores jogadas da série foi ter transporto a história toda para um universo canino, e assim não ser apenas mais uma série sobre este livro, e os nomes retratarem isso mesmo com suaves trocadilhos entre o nome original e o do desenho animado. A dobragem Portuguesa ajudou à festa, e foi uma daquelas que também contribuiu e muito para o sucesso disto tudo.

Dartacão (D'artagnan) tinha a voz de João Lourenço, e era um jovem destemido sem medo de nada que parte à aventura com o seu cavalo Rofty e que depois cria amizade com um pequeno rato medroso chamado Pom (João Perry).

Mordos, Dogos e Arãomis (Athos, Porthos e Aramis), que eram respectivamente João Perry, Antonio Montez e Manuel Cavaco, formavam a guarda de elite do Rei, e eram os mais famosos dos Moscãoteiros e cada um tinha uma característica que o destacava. Um era mais inteligente, outro era muito forte e outro muito sensível e delicado, em conjunto com Dartacão ajudavam a defender o rei contra os esquemas do Cardeal.

A Julieta (Constance), era a aia da Rainha e por quem Dartacão se apaixona loucamente e quem ela retribui e é ocasionalmente uma aliada contra os esquemas dos dois grandes vilões da série. Isabel Ribas dava a voz a esta personagem.

Cardeal Richelião e Milady eram os 2 grandes vilões desta primeira série, sempre em esquemas elaborados com vias de destronar o rei e de prejudicar os Moscãoteiros. Tinham a voz de Antonio Montez e Maria Emília Correia.


Para mim os primeiros episódios são os fundamentais em nos conquistar para sempre, ver o pequeno Dartacão na sua aventura solitária até França e a meter-se logo em problemas com 3 duelos ao mesmo tempo e contra nada mais nada menos que os 3 Moscãoteiros, é obra e cria uma fasquia alta que foi sempre igualada até o final da primeira temporada. Gostava da cobardia de Pom, tinha sempre umas one liners fantásticas, e gostava de todo o universo com retratos fiéis da corte e de todos os problemas que aconteciam naquela altura.

Foi um daqueles desenhos animados que teve toneladas de merchandising, desde os cromos aos pvc's passando por uns pequenos copos que eram nada mais nada menos que reproduções das cabeças dos moscãoteiros e de onde podíamos comer gelado, a série apareceu retratada em tudo e mais alguma coisa e todos nós queríamos essas coisas só para nós.

Tenho a colecção completa em DVD e posso afirmar que ainda se vê muito bem e que não tenho dúvidas que algum canal a irá repetir em 2020 e que será de novo um sucesso. Quem consegue esquecer esta letra?

Era uma vez os três
Os famosos moscãoteiros
Do pequeno Dartacão
Tão bons companheiros

Os melhores amigos são
Os três moscãoteiros
Quando em aventuras vão
São sempre os primeiros

Quando eles vão combater
Já não há rival algum
O seu lema é um por todos
E todos por um

O amor de Julieta
É o Dartacão
E ela é a predilecta
Do seu coração

Dartacão, Dartacão
Correndo grandes perigos
Dartacão, Dartacão
Perseguem os bandidos
Dartacão, Dartacão
E os três moscãoteiros longe
Vão chegar

Dartacão, Dartacão
És tu e os teus amigos
Dartacão, Dartacão
Em jogos divertidos
Dartacão, Dartacão
Vocês são moscãoteiros
A lutar















Enviar um comentário Blogger