1


Quando finalmente tive TV Cabo, na segunda metade dos anos 90, o Cartoon Network.foi o canal pelo qual me apaixonei logo. A internet ainda não estava implementada da forma como a conhecemos, por isso conhecer ali desenhos animados novos e em Inglês teve uma grande importância para mim. Um dos que rapidamente ganhou a minha preferência, tinha no nome um dos meus realizadores preferidos, Steven Spielberg's present Pinky and the Brain.

O desenho animado estava na onda de outro com a chancela do Spielberg, os Animaniacs,  e tinha a mesma loucura e o tipo de escrita moderna que nos prendia facilmente ao ecrã. 2 ratos de laboratório geneticamente alterados estrelavam este programa, ambos tinham um aspecto Antropomórfico e uma inteligência acima da de um comum rato.

O Brain (Maurice LaMarche) tinha um QI elevado e por isso achava que o mundo seria um lugar melhor se ele o governasse, tentando então engendrar esquemas para conquistar o mundo que eram a premissa básica de todos os episódios. Ele era muito parecido com Orson Wells, chegando a "encontrar-se" com ele num episódio, e tinha uma cabeça anormalmente grande de modo a evidenciar o seu cérebro fora do comum. Era emocionalmente mais reservado, ao contrário do seu parceiro de gaiola, apesar de ter um sentido de humor bastante apurado.

Pinky (Rob Paulsen) era mais extrovertido, tinha um tom de voz mais elevado e era mais alto que brain. Uma das suas características era o constante uso da palavra "Narf", para além da sua incapacidade de perceber os planos do seu parceiro o que o levava constantemente ao desespero. Ele demonstra ter alguma telecinésia, movendo objectos conforme o seu desejo e assim mostrando o maior atributo da manipulação genética de que foi alvo.

Os episódios andavam pelos 10 minutos, em algumas ocasiões pelos 20 minutos, e seguiam sempre a mesma lógica de um plano engendrado pelo Brain com consequências hilariantes no decorrer desse tempo. De vez em quando existiam uns episódios especiais com eles em algumas ocasiões históricas, o que era uma boa variação dos episódios passados na "realidade" dos anos 90.

O engraçado desta série, era que os planos de Brain não eram megalómanos ou malignos, ele realmente achava que seria o melhor para todos se ele governasse o mundo. Isso era acentuado quando eles enfrentavam o Hamster Snowball, outro rato inteligente, que também queria governar o mundo mas sempre com planos muito mais maléficos.


O programa recebeu bastantes prémios e, com o sucesso que tinha, era normal que várias estrelas começassem a ser parodiadas ou então a aparecerem como vozes convidadas. Eric Idle, James Belushi ou Mark Hammill foram apenas alguns dos nomes que passaram por lá.

O humor era bastante adulto e sofisticado, o que era um pouco incomum na altura mas algo habitual em Animaniacs, com tiradas de cultura geral que iam desde a política ao desporto passando por personalidades conhecidas da TV. Um dos meus momentos preferidos era quando existia o seguinte diálogo:

Brain: Pinky, are you pondering what I'm pondering?
Pinky: I think so, Brain, but...

Que levava a respostas super divertidas e nada a ver como "Mas nós já estamos nus". Foram 65 episódios bastante divertidos e um dos melhores desenhos animados da década de 90.






Enviar um comentário Blogger